sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Lembranças

Dei risadas sozinho hoje. Lembrei de quando era fotógrafo do Jornal do Brasil, na sucursal de São Paulo, e fui um domingo bem cedinho fazer o Maluf na eleição acho que pra governador. Desde antes das 7 da matina já tava um empurra empurra. O carro dele parou, e foi aquela guerra. Eu, magro e baixo, consegui por pura intuição acompanhar, na frenta, toda a notícia. Meia hora depois, quando ele partiu, eu pensei: Não coloquei filme na máquina! Um rolo só não daria...Confiro abrindo a velha F3. Ela lá, vazia..
Voei pra redação - era na Paulista, onde o hoje editor do Estadão Armando Fávaro me aceitou pra trabalhar com ele. Liguei pro Rio e contei a verdade:
Pô, voces precisam mandar equipamento melhor pra cá. A máquina travou ...

Pouco tempo depois, eleições de 2002,  a equipe do Ciro Gomes - que naquele momento estava líder nas pesquisas presidenciais, convocou a imprensa pra fazer o making off da gravação de um programa dele.
Fui pelo Estadão e encontrei o Lilo lá. Umas quatro horas depois, no mínimo, nada do Ciro chegar, um assessor sai da pequena casa no Bexiga, estúdio da equipe do cearense, e alardeia:
" O Ciro vai chegar em breve".
Uma hora  mais tarde, já começo de noite, o tal assessor sai pra pegar uma coxinha no bar mais próximo. Assim como nós, uns trinta pelo menos, devia ter fome.
O Lilo, também de saco cheio de ficar parado numa calçada há horas,  mandou na orelha dele:
O meu, esta pauta está mais pra off  do que making!!
O cara subiu, comprou a coxinha, dobrou a esquina e sumiu.
E o Ciro não apareceu..

Nenhum comentário:

Postar um comentário